POR QUE OS RICOS NÃO TEM EDUCAÇÃO?

Depois que começei a trabalhar num bairro de alto poder aquisitivo, passei a perceber o horror que é ser rico. Não, isso não é uma desculpa por eu não sê-la. E fico tentando compreender este fato comprovado por mim em inúmeras situações. Faz um tempão que não faço uma listinha. Então vou exemplificar:

NA PADARIA:

Eles querem sempre ser servidos antes dos outros e na grande maioria tratam os funcionários como se fossem seus empregados, achando que a sua pressa é o problema mais importante do país.

NO BANCO:

Estacionam nas vagas de deficientes e idosos sem nenhum indício de cidadania, na caruda mesmo.

Querem ser atendidos pelo gerente caso o caixa esteja demorando, falam alto demonstrando poder e tratando funcionários como subalternos.

NA BLITZ:

Tentam subornar todo mundo, não querem ser revistados e se negam a terem seus carros apreendidos.

NA BALADA:

Querem comer as mais gostosas, independente da sua performance, potência ou calibre. Tomam as bebidas mais caras e não pagam nada a ninguém.

NO TRÂNSITO:

Não dão passagem, não respeitam pedestre e intimidam carros menores e mais velhos.

NO HOSPITAL:

Aí eu não sei, pq o hospital que  frequento, jamais verei um deles.

NO TRABALHO:

Muitos assediam moralmente seus funcionários e acreditam que tudo se compra.

De forma alguma estou fazendo apologia a miséria, mas não deveria ser o oposto?

 



Escrito por nuriah buendía às 17h54
[] [envie esta mensagem] []



Causos Inacreditáveis IV

Quase um mês sem postar e retorno com uma história dessa! Ando trabalhando talvez um pouco mais do que meu corpo suporta e minha mente decretou guerra a ele. Como o percurso entre meu local de trabalho e minha casa é massante, procuro  amenizar o desgaste de passar todos os dias pelos mesmos lugares, ler as mesmas placas, saber onde estão todos os buracos e os muros onde os trombadinhas se escondem para assaltar quando pára tudo. De que forma? vou escutando música, procurando programar meu dia (pela manhã) e fechar o balanço dele (na volta).

Quarta feira passada, saí do escritório, entrei no carro, fui fazendo o ritual diário; bolsa embaixo do banco, celulares no banco do passageiro e por aí vai. Ué, cadê meu celular? Droga, deixei em cima da mesa. Volto ao escritório,  contrariada por sempre esquecer algo e não conseguir melhorar isto em mim. Volto pro carro. Bom agora vai. Cinto de segurança. Entro na avenida. Realizando todos os movimentos exatamente como todos os dias, trocando de pista nos mesmos momentos, por conhecer bem o local, quando de repente POW! Fui atingida! O que foi isso? Pensei , deve ter caído uma árvore em cima do meu carro. O veículo começou a rodar em cima do viaduto quando me deparo com um ônibus me arrastando e o motorista me olhando com cara de pânico. Eu escutava barulhos horríveis, tudo se quebrando, não sabia onde estava e nem o que estava acontecendo, talvez por ter rodado, quando finalmente eu bati no meio fio e capotei. Não soltei o volante nem por um momento e quando tudo acabou, me deparo com um homem me chacoalhando - VC ESTÁ VIVA! VC ESTÁ VIVA! Bem, eu acho que estou. O que aconteceu? - Eu não te vi e te joguei prá fora da pista. -É? Seu filho de uma puta!! Vc é louco?

Olhei meu rosto no espelho, nenhum arranhão. Nenhum ferimento pelo meu corpo, nenhuma dor ou incômodo. Desço do carro... que carro? Destruído. Vários curiosos me olhando com cara de OH QUE MILAGRE!! Em dois minutos, resgate, cet, pm, sptrans. Realmente estes serviços funcionam por aqui.

E conclusão: meu filho disse que sou um Power Ranger, meus amigos disseram que eu só tenho mais duas vidas e eu? volto a andar de busão.

Ah... antes que eu me esqueça, eu não vi luz nenhuma vindo me buscar, nem debaixo , nem de cima tá?



Escrito por nuriah buendía às 17h37
[] [envie esta mensagem] []



[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]


Meu perfil
BRASIL, Sudeste, SAO PAULO, BELA VISTA, Mulher, de 36 a 45 anos


Histórico
Votação
Dê uma nota para meu blog


Outros sites
Ixkol